RS232 e RS485 diferença - casos de uso e tecnologia

Conteúdo

  1. O que é uma porta serial?
  2. Qual é a diferença entre a porta serial RS232 e RS485?
  3. Onde o protocolo de transferência de dados serial é usado?
  4. Tecnologia de software em comunicação serial:

O que é uma porta serial?


Uma porta serial é uma interface de comunicação sobre a qual a comunicação serial pode ocorrer. Em computadores compatíveis com IBM, eles são geralmente chamados de portas COM. Permitem dispositivos externos que transmitem dados em série para serem conectados a um computador host e permitem a comunicação bidirecional entre o host e o dispositivo.

Qual é a diferença entre as portas seriais RS232 e RS485??


RS232 e RS485 são dois padrões de transmissão elétrica que existiam antes da introdução de computadores pessoais. Eles são empregados em interfaces que permitem a comunicação serial entre computadores e dispositivos periféricos. Embora ambos sirvam ao propósito de permitir a transmissão de dados em série, os protocolos RS232 e RS485 apresentam algumas diferenças. Vamos ver onde esses protocolos diferem.

  • Número de fios - Um cabo RS232 é tipicamente composto de 9 fios diferentes, embora em alguns conectores, 25 fios sejam usados. Cada fio serve um propósito distinto na transmissão de dados. Os cabos RS485 possuem apenas três fios, dois para transmissão de dados e um para o solo.
  • Transmissão bidirecional - O RS232 é totalmente duplex, o que significa que ele pode transmitir dados em ambas as direções, tanto envio quanto recebimento. Para obter comunicação duplex com o RS485, você precisa de outro conjunto de fios. O RS485 nativo é half-duplex, o que significa que ele só pode transmitir em uma direção por vez.
  • Voltagens - O RS485 usa tensões entre + 5V e -5V. A voltagem recomendada para RS232 é de + 12V a -12V, e sinais degradados para até 3V ainda podem ser entendidos.
  • Alcance - Existem diferenças significativas nos comprimentos de cabo que podem ser usados com os protocolos RS232 e RS485. Os cabos RS232 são geralmente restritos a ter 50 pés (15 m) de comprimento. Cabos para RS485 podem se estender até 4.000 pés (1.200 m).

As diferenças nesses dois protocolos podem tornar uma solução mais favorável do que a outra em certas aplicações. A existência de conversores RS232 para RS485 permite que os dois protocolos sejam usados juntos. Esses conversores geralmente funcionam em ambas as direções, permitindo conexões RS232 a RS485 e RS485 a RS232.

Onde o protocolo de transferência de dados serial é usado?


A transferência de dados em série usando os protocolos RS232 ou RS485 não é mais o padrão para computadores pessoais ou dispositivos periféricos eletrônicos, tendo sido substituída por USB e outros protocolos. A transmissão serial ainda é usada extensivamente em sistemas de monitoramento industrial e embarcados e pode ser usada com conversores em máquinas equipadas com USB.

O RS232 permite o controle direto de dispositivos industriais, como sistemas UPS, sem a necessidade de assistência de software. Muitos sensores e monitores industriais empregados na Internet Industrial das Coisas fazem uso da comunicação serial. Também é amplamente utilizado com equipamentos científicos e médicos. O protocolo RS485 encontrou uma ampla aplicação em câmeras de CCTV (Circuito Fechado de TV).

Tecnologia de software usada em comunicação serial


Se você trabalha com interfaces seriais e dispositivos, pode precisar de algumas ferramentas de software para ajudá-lo a executar suas tarefas. O software Eltima desenvolveu três aplicativos que facilitam o trabalho com dispositivos seriais e estendem suas capacidades.

Virtual Serial Port Driver - Este utilitário de software permite que você crie um número ilimitado de pares de portas seriais virtuais que emulam e se comportam como se fossem portas COM físicas.

Virtual Serial Port Driver

A ferramenta não usa nenhuma das suas portas seriais reais e pode ser usada em máquinas que não possuem portas COM. As portas são recriadas após uma reinicialização do sistema e é possível uma transferência de dados com maior velocidade através das portas seriais virtuais que usam as físicas. Estas são apenas algumas das características desta aplicação de software de porta serial dedicada.

Serial to Ethernet Connector - Se você precisar acessar seus dispositivos seriais remotos pela rede, este aplicativo de software é uma solução perfeita.

Serial to Ethernet Connector

Ele foi projetado para permitir que você compartilhe um número ilimitado de portas seriais físicas e virtuais em qualquer rede TCP/IP ou UDP/IP. Você pode criar qualquer número de portas virtuais e nomeá-las da maneira que desejar, e as portas seriais em rede podem ser usadas com máquinas virtuais. É uma solução completa para o problema de controlar e acessar dispositivos seriais remotos.

Analisador RS232 - Aqui está uma ferramenta completa que foi desenvolvida para facilitar o monitoramento de portas seriais e é uma ferramenta indispensável para desenvolvedores de aplicações seriais. Ele permite que você rastreie e analise dados fluindo por todas as portas seriais em um log conveniente e permite que você observe os dados em vários modos de exibição. Você pode monitorar portas já abertas por outros aplicativos e emular o envio de dados para dispositivos seriais. Entre seus outros recursos está uma opção de reprodução que permite enviar os mesmos dados várias vezes e comparar automaticamente os resultados e as diferenças de exibição.

Analisador RS232

Eltima tem uma vasta experiência no campo da comunicação serial e estas são aplicações de software maduras. Se você trabalha com dispositivos e portas seriais, deve a si mesmo dar uma olhada em como pode se beneficiar desses produtos.

Serial to Ethernet Connector

Requisitos para o Windows (32 bits e 64 bits): XP/2003/2008/ Vista/7/8/10, Windows Server 2012
Requisitos para Linux: Kubuntu 9.10 “Karmic Koala”, openSUSE 11.2, 7.63MB de espaço livre, tamanho 4.66MB , 4.66MB tamanho
Versão 7.1.876 (27th , 2017) Notas de versão
Categoria: Communication Application
Olga Weis 12 de junho de 2018
Olga Weis 11 de julho às 11:19
Olga Weis 05 de março às 11:19